Associações interpelam candidatos PE: Directiva de Retorno e Pacto Sarkozy em debate

[01/06/2009]
4ª feira, 3 jun, 15h, FNAC-CHIADO
 
Procurando interpelar os/as candidatos/as das várias forças políticas ao Parlamento Europeu,realizar-se-á na próxima quarta-feira, dia 3 de Junho, às 15h, na FNAC do Chiado, um debate sobre as políticas de imigração da UE. Numa altura em que a UE endurece a entrada e permanência de imigrantes, mais de 150 organizações de toda a europa lançaram o documento “Por uma Europa respeitadora dos direitos dos/das Imigrantes” (ver documento em anexo), que serviu de base à Jornada Europeia pelos Direitos dos/as Imigrantes – NÃO À EUROPA DA VERGONHA.
 
 
 
 

O documento reivindica uma outra política migratória, coerente com os princípios dos que a UE se reclama: paz, democracia, cooperação, justiça, respeito pelos direitos humanos e livre circulação de pessoas. A regularização dos/as indocumentados/as, o reconhecimento dos direitos de cidadania dos/as imigrantes, o fim da criminalização da imigração e a refundação das relações Norte-Sul são algumas das principais propostas relativamente aos quais os/as candidatos/as são convidados/as a se posicionar. Descarregue o documento pontes e não muros 
Em Portugal, foi lançada uma CARTA ABERTA que, juntando associações e várias personalidades públicas, procurou alertar para a tendencia actual, a nível europeu e nacional, de fazer do imigrante um bode expiatório conveniente para a insatisfação sentida actualmente. Foi também lançado o desafio de equacionar políticas que assentem no respeito da dignidade humana e que promovam a igualdade de direitos entre as pessoas, independentemente do lugar onde tenham nascido.
O debate será moderado por Manuel Malheiros, da CIVITAS (Ass. para a Defesa e promoção dos reitos dos Cidadãos) e por Jorge Silva, da Solidariedade Imigrante.
ALGUMAS DAS ORGANIZAÇÕES E REDES SUBSICRITORAS DO DOCUMENTO
“Por uma Europa respeitadora dos direitos dos/das migrantes”
ALEMANHA Le Conseil des Réufigés ESPANHA CEAR (Comisión Española de Ayuda al Refugiado); Federación Andalucía Acoge; FADSP. FRANÇA CRID (Centre de Recherche et d’Information pour le Développement); CCFD (Comité Catholique contre la Faim et pour le Développement – Terre solidaire) ; Ipam (Initiatives Pour un Autre Monde); LA CIMADE ; Union Syndicale Solidaire. GRÉCIA Não ao racismo desde o beço; ITÁLIA Ufficio Immigrazione ARCI ; Sos Razzismo Italia. LUXEMBURGO ASTI; (Association de soutien aux travailleurs immigrés); CCPL (Confédération de la communauté portugaise au Luxembourg); ENAR – Luxembourg (Réseau européen contre le racisme). SUIÇA l’Autre Syndicat; Comité de soutien et de défense des Sans-Papiers de la Côte.

REDES/Orgs INTS ATTAC (Association pour la Taxation dês Transactions financières pour l’Aide aux Citoyens); Coordination européenne pour le droit des étrangers à vivre en famille; Emmaüs – International; Enda Europe; Manifeste euro-africain; MIGREUROP; MMM (Marcha Mundial de Mulheres) ; PMC (Plateforme Migrants et Citoyenneté européenne); Rede Fá e Justiça Africa-Europa.

PORTUGAL Abril – Associação Regional para a Democracia e o Desenvolvimento; AJPAZ (Acção para a Justiça e Paz); ARTP(Associação dos Originários do Togo); Associação Caboverdeana de Lisboa; Associação de Melhoramentos e Recreativa do Talude; Casa do Brasil de Lisboa; Colectivo Mumia Abu-Jamal; Khapaz; Obra Católica Portuguesa de Migrações; Olho Vivo (Associação para a Defesa do Património, Ambiente e Direitos Humanos); Solidarierade Imigrante; SOS Racismo; UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta).