Manifestação 15 de Março: Sem direitos iguais todos perdemos

[12/03/2009]

Milhares de imigrantes continuam à espera de regularização. Sem documentos ficam sujeitos/as à clandestinidade, sem direitos e sem protecção social. A actual lei é hipócrita e mantém um ciclo vicioso: é necessário trabalho para ter direito a residência, mas é preciso residência para trabalhar, o que deixa @s migrantes num beco de difícil saída, precariza a sua situação e alimenta os “falsos contratos”. 

Muitos homens e mulheres são impedidos a viverem em família, pelo facto de serem pobres e vítimas da exploração dos patrões e continuam a pagar valores exorbitantes na aquisição e renovação dos seus documentos, violando-se o princípio da igualdade. 

Salvo algumas excepções, os/as migrantes não têm direito ao voto, o que limita os seus direitos de cidadania. 

Tudo isto contribui para uma maior exclusão social, pobreza e marginalidade, que só alimentam a xenófobia e o racismo – usando os/as migrantes como bodes expiatórios para os problemas gerais da sociedade. Por tudo isto, aumenta a insatisfação e revolta, especialmente junto dos jovens descendentes que continuamente sofrem os efeitos da guetização e exclusão.  

Porque os/as migrantes não podem servir apenas para trabalhar e descontar, um conjunto de organizações convocaram uma manifestação para o próximo domingo, dia 15 de Março, pelas 15h, no Martim Moniz.  

ORGANIZAÇÕES PROMOTORAS: AAMA – Ass. Amigos da Mulher Angolana, AAMA- Ass. Moitense Amigos Angola; AHCD- Acção Humanista Coop. e Desenvolvimento; Alternativa Libertária; Ass. Caboverdeana Lisboa; Ass. Cubanos Res. Portugal; AGUINENSO – Ass. Guineense Solid. Social; Ass. José Afonso; Ass. Luso-Senegalesa; Ass. Lusofonia Cultura e Cidadania; ANPRP – Ass. Naturais do Pelundo Res. em Portugal; Ass. Origs do Togo; Ass. Res. Guiné-Conacri Portugal; Ass. Solidariedade Caboverdeana Margem Sul; Ass. Ucranianos em Portugal; Ballet Pungu Andongo; Casa do Brasil de Lisboa; CGTP – Inter Sindical; Centro Cultural Moldavo; Colectivo Mumia Abu-Jamal; Frente Anti-Racista; GAFFE – Grupo A Formiga Fora da Estrada; KHAPAZ; Mulher Migrante; Obra Católica Port. de Migrações; Olho Vivo; Plataforma GUETTO; Sindicato da Hotelaria do Sul; SPGL – Sind. Profs Grande Lisboa; Sind. Trabs Munícipio Lisboa; Sind. Trabs. Servs. Portaria Vig. Limpeza Doms. Acts Diversas; Solidariedade Imigrante-Ass. Defesa Direitos Imigrantes; SOS Racismo; UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta; União Sindicatos Lisboa.