Chávez ameaça retirar petróleo a países que apliquem Directiva do Retorno

[20/06/2008]

Chávez ameaça com “expulsão” da Venezuela dos negócios dos países europeus que venham a pôr em prática a directiva contra os indocumentados

O Presidente Chávez prometeu ontem retaliar contra a União Europeia na sequência da aprovação pelos Estados-membros da polémica “Directiva do Retorno”. Contra a facilitação da repatriação de imigrantes ilegais, o líder da Venezuela está disposto a deixar de fornecer petróleo aos países que apliquem a nova legislação.

“Não podemos ficar a ver de braços cruzados”, declarou o chefe de Estado venezuelano esta quinta-feira, durante uma conferência de imprensa em que abordou a questão da lei votada esta semana no Parlamento Europeu e que está já a ser alvo de forte contestação por parte de grupos de Direitos Humanos.

A lei que prevê a expulsão de imigrantes ilegais foi votada quarta-feira no Parlamento Europeu – tendo colhido 369 votos favoráveis, 197 contra e 106 abstenções – visando harmonizar regras para o repatriamento de imigrantes indocumentados na comunidade europeia, possibilitando ainda períodos de detenção até 18 meses.

A nova legislação vai permitir a partir de 2010 que os Estados-membros da UE expulsem os indocumentados para países por onde passaram antes de entrarem em território europeu. Após a expulsão, os imigrantes ficam proibidos de voltar à Europa durante cinco anos.

Contra estas disposições, o Presidente venezuelano deixa o aviso: “O nosso petróleo não irá para os países que aplicarem essa directiva vergonhosa”, ameaçou Hugo Chávez, que promete ainda uma resposta ao nível das relações económicas, com a possibilidade de os países da América Latina decidirem “o regresso de investimentos europeus”.

“Estamos preparados para o fazer. Não será sentida a sua falta”, acrescentou Chávez, depois de afirmar que Caracas fará uma lista das empresas “desses países” que puserem a nova legislação em prática e “levarem a cabo detenções de colombianos, paraguaios, bolivianos e equatorianos”.

Chávez aguarda marcha-atrás dos governos europeus.

O Presidente venezuelano aguarda contudo que os diferentes Estados-membros venham ainda a pronunciar-se em sentido contrário à corrente securitária que marca a agenda europeia sobre a imigração.

Se tal não vier a acontecer e a directiva for levada por diante, Hugo Chávez questiona a utilidade de futuros encontros dos líderes da América Latina com os chefes de Estado europeus. “Para quê mais cimeiras com a União Europeia?”, perguntou durante um conferência de imprensa.

A seu lado, Hugo Chávez tem para já o Presidente da Bolívia, Evo Morales, e o Presidente do Equador, Rafael Correa. Estes dois países têm milhares de cidadãos seus a viver em países europeus, emparticular na Espanha.

Referindo-se à nova lei que vai regular a emigração para a Europa, Rafael Correa considerou tratar-se da “directiva da vergonha”.

Por seu lado, Evo Morales defendeu um bloco constituído pela América Latina e África – principais visados pela nova legislação europeia – que faça frente a uma directiva que considera atentar “contra a Humanidade e a vida” das pessoas.

Durante uma conferência de imprensa na capital La Paz, o líder boliviano disse que os dois continentes deverão unir esforços numa campanha internacional visando a anulação da “Directiva do Retorno”.

“Pensamos em conduzir uma campanha internacional a fim de reverter a situação”, afirmou Evo Morales, para acrescentar que as primeiras acções deverão ser decididas na cimeira do Mercosul, marcada para 1 de Julho na Argentina.

Javier Solana reage a ameaças de Chávez

O alto representante da União Europeia, Javier Solana, já reagiu às ameaças do Presidente venezuelano, considerando “totalmente desproporcionada” a ideia de Hugo Chávez de expulsar as empresas dos países que apliquem a directiva do retorno.

“Na minha opinião, é (uma medida) totalmente desproporcionada”, respondeu Javier Solana à pergunta colocada esta manhã pelos jornalistas durante a cimeira europeia que marca o fim da presidência eslovena.

Paulo Alexandre Amaral, RTP

2008-06-20 09:25:01